Get To Know

Pedrogão!

19 Junho, 2017

Não consigo deixar de pensar nas famílias destruídas.

Não consigo deixar de pensar no que poderia ter sido feito, evitando tamanha tragédia.

Não consigo deixar de pensar no que estava a fazer na hora em que estas pessoas estavam a agonizar.

Não consigo deixar de pensar no sofrimento de quem cá ficou e vai ter que novamente reconstruir as suas vidas.

Não consigo deixar de pensar nas perdas humanas, e materiais também.

Não consigo deixar de pensar na facilidade com que a floresta vira um inferno.

Não consigo deixar de pensar no reordenamento florestal que se fala faz tanto tempo.

Não consigo deixar de pensar nos salários brutais que auferem os principais intervenientes nesta matéria, e que nestas alturas envergam coletes chic’s e cheios de insígnias.

Não consigo deixar de pensar no dinheiro que está envolvido em todos os intervenientes neste processo.

Não consigo deixar de pensar no que foi sendo feito erradamente ao longo de décadas.

Não consigo deixar de pensar nos bombeiros que tentam fazer algo para amenizar o fogo.

Não consigo deixar de pensar no peso, espero eu, que as pessoas que poderiam ter evitado isto tudo estejam a sentir por causaram, direta ou indiretamente, a morte destas pessoas.

Não consigo deixar de pensar nos meus filhos.

Não consigo deixar de pensar o quão lamentável é isto tudo.

Não consigo deixar de pensar no que vou sentir quando, se assim acontecer, estiver perto de algum incêndio.

Não consigo deixar de pensar quando vou deixar de pensar neste incêndio.

Não consigo deixar de pensar em tudo. E só me resta dizer: «Puta que pariu» esta vida.

Não me resta dizer mais nada, não por falta de palavras, mas porque tenho que me conter. Este blog é público e não estou cá para ferir susceptibilidades.

keep in touch,

E.R.

 

 

 

Artigos relacionados

Sem Comentários

Deixe um comentário