Get To Know

ENTREVISTA À RITA NETO! :)

16 Junho, 2016

Hello!

Aqui está mais um espaço de entrevista! Depois das entrevistas à Cristina Azevedo e Marta Barbosa, eis que surge a oportunidade de entrevistar a Rita Neto. Pessoa que se cruzou no meu caminho e na minha vida com a certeza de que a vai fazer mais feliz. Em breves palavras saliento que a vida é feita com amizades que julgamos verdadeiras e que de tudo fazemos para que as mesmas subsistam sejam quais forem as circunstâncias em que as mesmas foram E são criadas. Estou cá uma poetisa….. e esta hein!

Rita, espero que tenhas gostado!? Eu amei. Aqui vai:

Qual é tua relação profissional com o ambiente?

Terminei recentemente o Mestrado Integrado em Engenharia do Ambiente na FEUP, e iniciei funções numa Empresa de Serviços Municipalizados de Água e de Saneamento, atuando na Gestão das Redes de Distribuição, Tratamento de Água e prestação de Serviços Técnicos Administrativos.

Se a tua profissão não estivesse ligada ao ambiente o que achas que poderias estar a fazer neste momento?

Estaria certamente noutra área ligada à Engenharia. Sempre gostei da particularidade de trabalhar no sentido de arranjar soluções e resolver problemas, enfrentando desafios. No entanto, gosto de ter como foco nas ações a sustentabilidade, pontual ou global – razão também pela qual escolhi a Engenharia do Ambiente.

Não havendo qualquer impedimento financeiro ou de outra ordem, o que mudavas no ambiente atualmente?

Acho que o ambiente é uma área que ainda carece muito de inovação e desenvolvimento.

Há países que tem apostado na investigação de determinadas tecnologias, para assim poderem preservar e conservar o ambiente, ao mesmo tempo que asseguram a sustentabilidade económica, e até social. Acho que se não houvesse nenhum tipo de impedimento, poderíamos repercutir determinados exemplos à nossa realidade.

Por exemplo, há tempos tive oportunidade de ler um artigo da introdução no mercado de garrafas de água biodegradáveis (produzidas, por exemplo, com algas), ou de estações de reciclagem de resíduos de cigarros, entre muitas outras práticas. Penso que há muitas delas que poderíamos seguir.

 Achas que devemos incentivar quem separa os seus resíduos devidamente, ou penalizar quem não o faz?

Devemos incentivar, e apostar cada vez mais na sensibilização e educação ambiental. Separar os resíduos é uma atitude ambientalmente sustentável, que nos compromete a todos, como são, por exemplo, as questões sociais (em relação às quais as pessoas se manifestam mais solidárias, mais sensíveis e com maior predisposição de mobilização). São contextos exatamente iguais.

Na sensibilização e educação ambiental, as pessoas têm que perceber que separar o lixo tem tanto de importante e gratificante para quem o faz, como demasiado reprovador para quem se demite dessa responsabilidade.

 Ao longo do teu percurso como «amiga do ambiente», já te deparaste com alguma situação caricata em que te apeteceu discutir/chamar a atenção de algum prevaricador ambiental?

Por várias vezes, deparamo-nos com pessoas que, ou por falta de conhecimento, ou simplesmente para não se incomodarem, agem de forma errada. Por algumas vezes, já chamei a atenção de algumas destas pessoas. Da última vez chamei a atenção de uma vizinha que depositou os seus resíduos domésticos e umas caixas de cartão nos indiferenciados, e tive que intervir. Consegui fazer com que colocasse as caixas no ecoponto correto, mas quanto ao resto temo não ter sido bem compreendida…

Que conselhos darias para que este blogue se tornasse uma referência nacional em termos ambientais?

Penso que este blogue poderia também ser um bom testemunho em campanhas de sensibilização ambiental, por exemplo, potenciadas em instituições de ensino, ou empresas, e poderia difundir-se muito a partir dessa perspetiva.

Sem qualquer consequência para ti, o que dirias/farias a uma pessoa que fosse a conduzir mesmo à tua frente e deitasse pela janela uma embalagem de iogurte?

Provavelmente não teria hipótese de enfrentar a pessoa e chamá-la à razão pela incongruência da sua atitude. Assim, assumiria uma postura naturalmente cívica e consciente, recolhia a embalagem e encaminhava-a para um adequado destino final.

Abdicarias do teu banho diário, se para isso poupasses 10 euros por semana? Elenca dois ou três hábitos diários que tens e que não vão de encontro a um desenvolvimento sustentável?

Não abdicava, porque, como em tudo, também não devemos ser fundamentalistas. Mas, mesmo no banho diário, deve adotar-se uma postura ambientalmente sustentável e tentar que seja o mais breve, quanto possível, e optar por fechar a torneira, enquanto se coloca o gel de duche/champô.

Tento ser sempre promotora do desenvolvimento sustentável, mas há sempre pequenas coisas que ainda não consegui arranjar forma de evitar. Por exemplo, faço algumas viagens de carro e o combustível que utilizo é a gasolina, e preferia ter um carro elétrico ou com outro tipo de opção de combustível mais limpa. Não faço a separação dos resíduos orgânicos porque vivo num apartamento que não consta de ecoponto destinado a orgânicos, e por outras razões, como seja o exigente controlo e a certa dificuldade em desenvolver esse tipo de culturas num apartamento, também não faço vermicompostagem – que poderia optar, em alternativa, para dar um destino final mais adequado, aos orgânicos produzidos cá em casa.

E foi assim, adorei, e em breve teremos mais novidades no campo profissional. Não é Rita?

keep in touch,

E.R.

Artigos relacionados

4 Comentários

  • Comentar Rita Neto 16 Junho, 2016 at 21:18

    Minha querida amiga e fantástica Engenheira que muito aprendi a prezar e estimar pela admiração enquanto profissional e cada vez mais, enquanto pessoa! Muito obrigada pela oportunidade, e obrigada pelo exemplo a todos os níveis! Obrigada pelo carinho e pelo cuidado das palavras! Adorei ter contribuido, desta forma! O Something More é uma referência! Um beijinho grande, com muita amizade e consideração 🙂

    • Comentar Elsa Rocha 17 Junho, 2016 at 12:25

      Ora essa Rita. Foi um prazer! Beijinhos 🙂

  • Comentar Antonia Rocha 16 Junho, 2016 at 21:43

    Parabéns para a Rita ,adorei a entrevista !

  • Comentar Elsa Rocha 17 Junho, 2016 at 12:26

    Ainda bem! Também concordo que ela esteve muito bem! Espero que goste e acompanhe sempre este blog. A V/ opinião é muito importante. Fique desse lado pois em breve haverão mais novidades.
    Obrigada
    Beijinhos

  • Deixe um comentário