Sem categoria

Poupe dinheiro com o aquecimento no inverno!

14 Setembro, 2016

Hello!

O inverno está a chegar e com ele chegam também as descidas de temperatura. Saber que a fatura de eletricidade é bastante superior nestes meses que se avizinham não é agradável de saber, mas sabemos que existem alguns aspectos a ter em conta para suavizar esse aumento.

Está mais frio e queremos mais conforto térmico em casa e, como a luz natural termina mais cedo existe maior necessidade de recorrer à luz elétrica, o que se irá refletir na fatura no final do mês.

Por isso esperamos que depois de ler este artigo possa poupar na sua carteira e ajudar o ambiente não consumindo mais do que aquilo que realmente necessita:

  1. Qual o seu distribuidor de energia?

Esta questão já há algum tempo que lhe passa pela cabeça mas ainda não se deu ao trabalho de verificar se é o mais adequado para si.

Esta é a questão que deve saber responder de imediato e que pode estar a inflacionar a sua conta da luz, especialmente se ainda estiver no mercado regulado. Se a sua fatura ainda corresponder aos serviços da EDP Serviço Universal, isso significa que ainda está no mercado regulado e provavelmente a perder dinheiro. Em 2016 o preço da tarifa de eletricidade para os consumidores ainda presentes no mercado regulado irá subir 2,5%, tal como se tem verificado desde a existência do mercado livre. Para conferir que está junto do distribuidor de energia correto para o seu caso pode optar por simular o seu consumo de eletricidade junto do simulador da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

2. A solução de aquecimento é a mais adequada?

Se ainda acha que os aquecedores a óleo são as soluções mais adequadas para si, saiba que pode estar enganado.

Antes de adquirir uma solução de aquecimento deve fazer bem as contas e para isso, pode utilizar o simulador da DECO para o efeito. Por exemplo, se apenas pretende uma solução para o inverno, tem menos de 300 euros para gastar, vive no sul litoral e pretende aquecer três ou mais divisões a melhor solução a curto prazo para si pode ser um termoventilador ou um convetor. Estas soluções não exigem custo de instalação ou manutenção anual, mas de acordo com esta entidade podem ter um custo de energia de 846 euros anuais. Apesar de tudo, estas opções são bem mais baratas do que se optar pelo ar condicionado. Se preferir o ar condicionado, saiba que apresenta um custo de utilização onde se inclui já o seu custo de aquisição, instalação, manutenção e gasto anual de energia superior a 3 mil euros.

Já a recomendação da DECO para quem pretende uma solução tanto para o inverno como para o verão e viva no interior norte numa moradia, deve optar pelo ar condicionado tendo a conta a sua versatilidade e por apresentar um gasto anual de energia bastante inferior às outras opções: cerca de 338 euros.

3. Permita a entrada de luz natural

Permitir a entrada de luz natural em sua casa é muito benéfico para a sua fatura da eletricidade. Evita que gaste dinheiro a aquecer a sua casa e também a a iluminar a mesma pois não precisa de ter as luzes ligadas tão cedo. Já à noite certifique-se que fecha todos os estores para evitar que o calor acumulado durante o dia «fuja» durante a noite.

4. Isole bem as entradas de ar

De que adianta ter um bom aquecimento em casa se não consegue impedir a entrada constante de ar frio vindo do exterior? As janelas e portas devem estar bem seladas para evitar a saída do ar quente que tem dentro de casa. Isto é tão ou mais importante que o sistema de aquecimento adotado. Para verificar se tem algum caso destes deve colocar a mão junto da janela ou porta em questão e verificar se, num dia de vento, tem entradas de ar frio.

Assim sendo, deve garantir que as saídas de ar estão bem seladas e calafetar com barras, fita isoladora ou outras soluções adequadas de forma a garantir o aquecimento da sua habitação.

5. Cuidado com o termostato

Verifique, caso tenha aquecimento central ou ar condicionado, a temperatura do seu termostato. A temperatura recomendada situa-se entre 19 a 21 graus, por isso, se não quer surpresas de maior na sua fatura de energia e caso ainda tenha muito frio, opte por vestir mais uma camisola 🙂

Lembre-se: aumentar o termostato em alguns graus pode significar um aumento bastante significativo na sua fatura de energia.

Keep in touch,

E.R.

Artigos relacionados

Sem Comentários

Deixe um comentário