Places And Sites

PASSEAR NOS PASSADIÇOS DO PAIVA!

7 Junho, 2016

Hello!

Hoje vamos falar dos Passadiços do Paiva.

Depois do incêndio que, no verão, destruiu parte dos passadiços junto ao rio Paiva, em Arouca, a estrutura reabriu dia 13 de fevereiro. Já se pode voltar a Arouca para percorrer a pé quase nove quilómetros de montanha, mas vale a pena prolongar o passeio pelo Geoparque.

O caminho de madeira com 8,7 quilómetros que serpenteia a margem esquerda do rio, ora em escadaria abrupta com vistas de arrepiar ora como varanda de luxo entre penedos e bosque, tornou Arouca uma meca dos amigos das caminhadas. Até que, em setembro, um grande incêndio destruiu parte dos passadiços do Paiva, inaugurados no início do verão. Após as obras de restauro, o corredor de madeira já reabriu, a 13 de fevereiro. E apesar de valer a pena percorrê-lo por si só, seria uma pena ir a Arouca e passar ao lado dos outros encantos do seu Geoparque (mais tarde farei um artigo específico sobre este parque), na serra da Freita, e ainda pelas mesas daquelas terras montanhesas, que tão bem nos retemperam com a sua carne de sabor distinto.

No acesso aos passadiços, algumas regras mudaram – agora recomenda-se inscrição antecipada (através do website passadicosdopaiva.pt), assim como um pagamento, via multibanco, do valor simbólico de um euro. E esta inscrição prévia já pode ser feita agora, mesmo quando faltam uns dias para a reabertura. Esta foi a forma encontrada pelo município para evitar afluência excessiva, de modo a facilitar eventuais situações de socorro.

Os Passadiços do Paiva localizam-se na margem esquerda do Rio Paiva, no concelho de Arouca, distrito de Aveiro. São 8 km que proporcionam um passeio “intocado”, rodeado de paisagens de beleza ímpar, num autêntico santuário natural, junto a descidas de águas bravas, cristais de quartzo e espécies em extinção na Europa. O percurso estende-se entre as praias fluviais do Areinho e de Espiunca, encontrando-se, entre as duas, a praia do Vau. Uma viagem pela biologia, geologia e arqueologia que ficará, com certeza, no coração, na alma e na mente de qualquer apaixonado pela natureza.

O percurso dos passadiços liga as praias fluviais do Areinho e do Espiunca, com a praia do Vau a surgir a meio do percurso, sempre com apoios ao caminhante. Em média, é ginástica para duas horas e meia a três horas, alguma resistência física e espírito de aventura (é que, de caminho, se tem de atravessar uma ponte suspensa). É preciso ter em atenção duas coisas. A primeira, é que há ir e voltar, por isso, o caminho total são quase 18 quilómetros. Uma forma de contornar a volta é, indo em grupo, deixando um carro em cada extremo; outra é combinar com um dos táxis nas entradas dos passadiços.

Ou então, ser valente e saltar logo para a segunda decisão: escolher por onde começar. Tanto pode ser pelo Areinho, onde ataca logo a escadaria que trepa pela fraga, começar pelo Espiunca, que deixa essa parte danada mais para o final, ou pelo meio do percurso. Seja por onde for, é um caminho de uma imensa frescura verde com carvalhos, freixos, sobreiros, amieiros, rochedos e o rio Paiva sempre ao lado. Os impressionantes lances de escadas diagonais permitiram acessibilidade a lugares que eram antes praticamente impossíveis de alcançar a pé.
NORMAS E CONDUTA

  • Percorra o passadiço entre o nascer e o pôr do sol
  • Siga sempre pelo passadiço
  • Use vestuário e calçado apropriado
  • Observe a fauna à distância e não danifique a flora
  • Não abandone o lixo na natureza
  • Respeite a propriedade privada
  • Evite barulhos e atitudes que perturbem a paz local
  • Não colha amostras de plantas ou rochas
  • As crianças devem andar sempre acompanhadas por adultos
  • Se encontrar obstáculos ou derrocadas, não os contorne. Volte para trás pelo mesmo percurso
  • É proibido fumar, fazer fogueiras, acampar ou fazer desportos radicais
  • É proibido circular de bicicleta, de motociclo ou outros veículos motorizados
  • É apenas permitida a entrada de animais domésticos com trela
  • Respeite e obedeça às orientações e informações oficiais

OBSERVAÇÕES E RECOMENDAÇÕES

O percurso no sentido Areinho – Espiunca é o menos exigente, a nível físico
  • No caso de ida e volta, recomenda-se começar o percurso pela Espiunca
  • O passadiço permite o acesso a três praias fluviais, onde se poderá refrescar
  • Leve sempre água consigo e uma mochila para trazer o lixo
  • Não utilize chinelos ou calçado de praia
  • Não utilize carrinhos de bebé, porque há troços em terra e muitas escadas
  • Neste momento, o serviço de transfer de uma extremidade para a outra pode ser efetuado por táxi
  • Para sua segurança, ao longo do percurso, existem telefones SOS
  • Em períodos de sol intenso, recomenda-se o uso de protetor solar
  • Existem muitas zonas com sombra, ao longo do percurso
  • Não tem que atravessar, obrigatoriamente, a ponte suspensa, para efetuar o percurso
  • Para visitas interpretadas, com guia, deve contactar empresas da especialidade ou o Geoparque Arouca
  • Nas extremidades dos passadiços, existem cafés que servem refeições rápidas
  • Existem parques de estacionamento nas duas extremidades dos passadiços (Espiunca e Areinho)

COORDENADAS GPS

Espiunca
40°59’34.67″N    8°12’41.19″W

Areinho
40°57’9.68″N    8°10’33.05″W

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Keep in touch,

E.R.

 

 

Artigos relacionados

Sem Comentários

Deixe um comentário