Get To Know

Tem vergonha de trazer as sobras de comida do restaurante?

3 Outubro, 2016

Hello Everyone!

Quantos de nós já tivemos pena pela comida que não comemos num restaurante, e que fica no prato em cima da mesa?

Aquilo que devemos fazer, e que nem sempre acontece, é pedirmos a quantidade de comida de acordo com a nossa fome e vá, apetite! Claro que se formos comer com muita fome temos tendência a pedir mais comida do que a realmente necessária para satisfazer as nossas necessidades.

Chegar ao fim da refeição e abandonar o restaurante deixando a travessa meia cheia, é um desperdício de comida e de dinheiro! 

Caso isso aconteça, não tenha vergonha e peça ao funcionário que lhe embrulhe a comida para trazer para casa. Para o meu marido isso trata-se de uma vergonha descomunal! E não, nunca digo que é para as minhas cadelas, Digo sempre que é para mim. A vergonha não me inibe de fazer isso. Nunca ninguém se negou a fazer isso, quando muito cobraram-me 1 euro pela embalagem. Nestas situações podemos mesmo afirmar que quem tem vergonha limita-se a gastar mais dinheiro.

Um estudo realizado ao longo de uma semana, os estudantes de mestrado da Universidade de Wageningen, na Holanda, distribuíram um total de 102 embalagens ecológicas destinadas às sobras dos clientes de 15 restaurantes portuenses.  Desta forma, lê-se num comunicado enviado às redações, foi possível evitar que 30 quilogramas de alimentos fossem parar ao caixote do lixo ao mesmo tempo que se evitou 4,91 kg de emissões de dióxido de carbono.

O estudo que acompanha este projeto-piloto revelou que 85% dos proprietários dos restaurantes aceitam com ‘bons olhos’ que os clientes possam guardar as sobras da sua refeição. Esta percentagem é ainda maior (90%) quando questionados os clientes.

Posto isto, resta-nos dizer que ao pedirmos as sobras do restaurante estamos a poupar dinheiro na nossa carteira e também o ambiente, evitando o acumular de lixo nos contentores do lixo e consequentemente nos aterros sanitários.

Keep in touch,

E.R.

 

Artigos relacionados

Sem Comentários

Deixe um comentário