Get To Know

Provavelmente esta será a tua última gravidez!

30 Agosto, 2017

Hello!

Esta foi a frase que o meu marido proferiu quando falávamos na sensação de voltarmos a viver estas «coisas» da maternidade.

Quem me segue pelo facebook já percebeu que estou à espera do 3.º membro (filho) lá para casa e que já me posso inscrever na associação de famílias numerosas. A comunicação oficial aconteceu na minha festa de aniversário, altura em que coincidiu com a viragem do 1.º para o 2. trimestre de gravidez e consideramos que já era seguro todos saberem. Sempre foi público que tinha intenções de aumentar a família e, aliás, na apresentação do blog há um ano atrás já o havia dito, aqui.

Na ecografia obstétrica do 1.º trimestre foi-nos dito que existe uma forte probabilidade de ser uma menina (yupi!!) mas não houve muita efusividade por parte da Dr.ª que nos atendeu, daí estarmos à cautela com essa novidade para os miúdos. O Salvador e eu torcemos pela menina, o pai e o João torcem novamente por um menino. Estamos divididos na escolha do sexo preferencial da criança mas numa coisa estamos de acordo: Queremos que nasça com saúde, num ambiente com muito amor e, disso não há qualquer dúvida, foi, tal como os irmãos, muito desejado e demasiado planeado. Os irmãos já disputam onde a criança vai dormir, com quem vai ficar, quem vai colocar a chupeta, quem vai mudar fraldas com caca ou com xixi, quem vai cantar para ele, enfim, planos lá por casa não faltam.

Se esta será a minha última gravidez? Talvez. A vontade de sermos todos felizes tem sido a minha prioridade n.º1. Se para tal a vontade de aumentarmos a família, e sendo consentânea entre todos, venha então mais um filho. Ao longo da vida as minhas prioridades e objetivos primordiais foram sendo alteradas, e algumas de uma forma muito drástica. Se há 12 anos atrás quando casei, proferi vezes sem conta que não queria ter filhos, a vida encarregou-se de me mostrar que sem eles o rumo e a minha felicidade não fariam sentido. Orgulho-me da mãe em que me tornei, em detrimento de colegas que sempre alegaram viveram para serem mães e, depois de terem o primeiro filho desistiram de ter um próximo pois dão muito trabalho e perdem muitas coisas da vida. Considero que haja muita coisa que se deve mudar quando temos os nossos filhos, mas não considero menos verdade que, se não conseguimos fazer sem eles estarem presentes, vamos então tratar de fazer com eles mesmo.

elsa gravida

Se era feliz com dois filhos, sim, claro que sim! Se achava que poderia ser ainda mais feliz com três, sim!

Mais um membro na família para ser regrado com questões ambientais e, mais um que espero ser um preocupado com a sustentabilidade do planeta onde vai viver.

Keep in touch,

E.R.

 

 

 

 

Artigos relacionados

Sem Comentários

Deixe um comentário