Get To Know

Não vou pedir nada para 2018!

31 Dezembro, 2017

Hello!

Chegado aquele momento típico dos desejos e pedidos para o ano que se avizinha, vejam só, não vou pedir rigorosamente nada para 2018!

Não, não é cliché!

De facto, volvido o ano de 2017 resta-me tão e somente agradecer tudo aquilo que aconteceu neste ano actual e perceber que a vida tem que ser vivida com intensidade em cada momento. Pode ser mais difícil fazer do que simplesmente dizê-lo, mas vou tentar levar este propósito ao máximo. Não fazermos ou não dizermos nada hoje ou amanhã, na certeza de que o podemos vir a fazer para a semana ou no mês que vem, já não é tão certo para mim como foi em tempos.

Resta-me agradecer tudo aquilo que vivi, tudo o que consegui, tudo o que fiz pois isso é a certeza absoluta de que fez parte da minha vida e contribuiu para o que irei fazer no futuro. Tudo o resto são conversas que nada de novo acrescentam. Sim, sempre acreditei que somos nós que fazemos o nosso futuro e que trilhamos o nosso caminho, mas isto tudo em certa medida. O resto, não sei a quem pertence, mas que vai acabar por acontecer lá isso vai.

Sinto-me agradecida por tudo, e acreditem que algumas das coisas que me aconteceram foram coisas menos boas. Mas se precisava disso para obter outros trunfos que para mim também eram importantes, que assim fosse. Não interessa catalogar se foi o acontecimento A ou B, interessa sim que continue a acreditar num mundo melhor; interessa que queira destralhar muita coisa na minha vida (física e sentimentalmente); interessa sim que queira viver cada vez mais intensamente os meus dias; interessa que cada momento passado com os meus 2 filhos (daqui a 1 mês com mais uma filha nos braços) seja vivido com muito amor, carinho e compreensão; interessa sim que tenha necessidade de querer continuar a dizer ao meu marido que o amo como há 20 anos atrás e que, pese embora com episódios menos dignos de contos de fadas, me via novamente a casar com ele; interessa sim que as pessoas boas precisem de mim assim como eu precisarei delas; interessa querer viver sentimentos positivos e «fugir» de tudo aquilo que só me trará negatividade e, por fim, interessa que o meu propósito diário seja ser sempre muito feliz com aquilo que tenho.

Posto isto, resta-me dizer que o importante é agradecer o que temos e dar isso como garantido. O resto são balelas fúteis. Deixar ir e deixar acontecer será o meu lema! Deixar ir o que não interessa e aquilo que não me faz feliz. Se assim for, acredito que mais coisas boas surgirão. Deixar ir será sinónimo de maior felicidade pois se vai é porque não nos fazia falta. E tudo o que ficar é porque merece e tem relevo na minha vida. É porque merece ficar. Neste ano que se avizinha, vou largar mais do que vou ficar!

Keep in touch,

E.R.

P.S. Carla Ribeiro, inspirei-me em ti para escrever estas palavras. É o meu tributo à grande mulher que és, que foste, e que tenho a certeza que sempre serás. Não vais precisar de sorte, precisarás de amor e isso, de certeza, terás de sobra na tua vida toda. I Love YOU 🙂

 

Artigos relacionados

Sem Comentários

Deixe um comentário