Get To Know

EVITE DESPERDIÇAR COMIDA!

10 Maio, 2016

Hello Everyone!

Sabemos que este blog é de cariz e temáticas ambientais. Claro que sim. Mas sabemos também que o desperdício de comida implica mais resíduos produzidos e como consequência mais dinheiro gasto sem qualquer necessidade. Por isso, a importância da escolha desta temática prendeu-se com o facto de o desperdício alimentar acontecer em todas as fases do ciclo de vida dos alimentos, na colheita, no processamento e produção, no comércio, no transporte e finalmente no consumo, tratando-se, por isso, de um problema que atingiu proporções mundiais e que abrange várias dimensões, quer económicas, quer ambientais, quer sociais.

Se existe desperdício, se existe consumo excessivo, e se existe custos desmesurados e alguma poupança associada, voilá…. cá está a vossa amiga Elsa para ajudar.

Nos últimos anos, em Portugal, tem-se verificado uma prática comum de desaproveitamento dos excedentes alimentares já cozinhados, em perfeitas condições de qualidade, e que poderiam ser consumidos sem restrições. Nas famílias portuguesas, o desperdício é, sem dúvida, resultado de causas ou ações diretas nas fases de planeamento e compra, armazenamento e consumo; mas é também influenciado por rotinas, estilos de vida e pelo tipo de família – em particular encontra-se diferenças significativas entre famílias com filhos e pessoas que vivem sozinhas.
No entanto, num contexto de crise, em que o desemprego e o número de pessoas a viver no limiar da pobreza é uma realidade ainda bem visível, a dimensão ética do problema ganha um maior peso na sociedade e cresce a consciência de que é preciso evitar uma situação de elevada desigualdade na caracterização do consumo de alimentos da população portuguesa.
Portanto, parece consensual que, quer seja por razões económicas, ambientais ou éticas, o desperdício alimentar deva ser combatido.

Em todas as fases do ciclo de vida dos alimentos existe potencial para o desperdício, mas, a maior parcela evitável
é aquela que acontece nas nossas casas, o que significa que, pelo menos uma quinta parte do dinheiro gasto na alimentação vai diretamente para o contentor do lixo. A principal razão pela qual os consumidores deitam comida fora é explicada pelo fenómeno típico de uma sociedade que, sendo de consumo, é também de desperdício.

Posto isto, e como adoro cozinhar e ser poupadinha em tudo o que confeciono, detestando o desperdício de comida no final das refeições, pensei fazermos deste espaço um local de partilha de receitas, dicas e ideias de como fazer para evitarmos resíduos na área alimentar, principalmente de alimentados cozinhados. O que dizem? Vamos a isso?

Keep in touch

E.R.

Artigos relacionados

2 Comentários

  • Comentar Sílvia Barros 3 Junho, 2016 at 9:37

    Olá Elsa! Sem querer parecer a dona de casa perfeita…. Aqui em nossa casa não tenho memória de deitar comida fora ou deixar estragar sobras de alguma refeição. Não deito comida ao lixo quando tantas pessoas passam fome e necessidades e muitos dos restos ou até alguma sobra vão para os meus herdeiros ( gatos de rua) junto com a ração deles e eles comem tudo. Massa que sobra, arroz ou até puré são para juntar á ração dos meus bichanos de rua. Os gatos da casa só mesmo a ração, no entanto, tento sempre confeccionar alimentos de forma a serem consumidos naquela refeição, para evitar desperdício. Beijinho.

    • Comentar Elsa Rocha 3 Junho, 2016 at 9:55

      Olá Silvia, também faço dessa forma. Mas no meu caso, e porque almoço no meu local de trabalho, os restos que sobram vão para um tupperware e trago ao outro dia 🙂 beijinhos
      Elsa

    Deixe um comentário