Get To Know

Estou farta de plástico!

1 Fevereiro, 2018

Hello!

Há uns tempos atrás fui ao centro comercial logo após uma consulta de rotina por causa da gravidez. De manhã, quando saímos de casa tínhamos como objetivo vir logo para casa mas, na tentativa de termos uma reunião com um cliente fizemos um tempo de espera e foi mesmo combinado ali ao pé do hospital. Nesse entretanto deu-me a fome e fui tomar pequeno almoço ao continente (bom dia) que existe no interior. Pedi um pão com manteiga e o meu marido pediu um café com um pastel. Disse-lhe qual era a mesa onde me ia sentar e pedi que ele ficasse na fila pois eu estava cansada :).

Quando ele chegou à mesa ia-me dando uma coisa má. Trazia um tabuleiro com um prato de plástico (daqueles descartáveis) para trazer o meu pão (com um guardanapo de papel em cima), e um prato igual para ele, com um outro guardanapo em cima de um prato de descartável. Ah! e para compôr melhor este tabuleiro de desperdício, ainda existia uma toalha de papel por cima do tabuleiro. Claro que isso foi motivo de conversa até terminarmos a refeição e só não o obriguei a devolver tamanho desperdício pela vergonha que ele sentiria e por pressentir que as senhoras do balcão iriam depositar aquilo tudo no caixote do lixo que estava mesmo atrás delas.

Por isto tudo, e por sentir que de facto existe uma banalização na utilização deste tipo de utensílios de plástico com um tempo de vida útil muito reduzido é que acho que este projeto de lei tem tudo para dar certo e acabar de vez com esta produção de lixo em excesso.

O projeto de lei determina a não utilização de louça descartável de plástico em determinados setores da restauração inclui todos os utensílios utilizados apenas uma vez no consumo de refeições, nomeadamente pratos, tigelas, copos, colheres, garfos, facas, palhinhas, palhetas de café, e prevê que as refeições e bebidas que se destinem ao consumo no próprio estabelecimento ou áreas afetas – o que se aplica a restaurantes, bares, cantinas, discotecas ou festivais –, devam ser sempre servidas em louça reutilizável.

Saiba tudo aqui

E vamos lá torcer para que os restantes membros das bancadas com assento parlamentar não vejam outros interesses na reprovação deste projeto de lei.  Saber e ter noção que entram anualmente no oceano entre 150 000 a 500 000 toneladas de plástico e que estes resíduos acabam por se acumular em zonas vulneráveis tais como o Mar Mediterrâneo ou o Oceano Ártico, pode talvez ser importante na hora de decidir. Vamos lá duma vez por todas colocar o país a falar de ambiente e tomar medidas de imediato e não traçar metas e objetivos para daqui a 10 anos. Queremos resultados imediatos..

Keep in touch,

E.R.

 

Artigos relacionados

Sem Comentários

Deixe um comentário