Get To Know

ENTREVISTA À MARTA BARBOSA :)

3 Junho, 2016

Hello!

Depois da entrevista à Cristina Azevedo, eis que surge a entrevista à Marta. Trata-se de uma amizade recente, via linkedin, é uma penafidelense também, mas que já nos levou a encontros imediatos, …. espero que se repitam mais vezes pois sei que é uma trabalhadora nata e com vontade de vencer nesta área.

Espero que gostem! Eu gostei, e sei que ela também. Ah, e já agora, gosto muito dela também!

Qual é a tua relação profissional com o ambiente?

Atualmente o meu trabalho prende-se com um dos principais problemas ambientais com que nos deparamos: a poluição da água. Mais especificamente na deteção de micropoluentes, denominados compostos emergentes, em águas superficiais e para consumo e em possíveis processos de tratamento para a remoção dos mesmos nestas matrizes ambientais.

Se a tua profissão não estivesse ligada ao ambiente o que achas que poderias estar a fazer neste momento?

Sempre gostei muito da área do ensino, por isso se não trabalhasse no setor do ambiente talvez estivesse a dar aulas na área das ciências.

Não havendo qualquer impedimento financeiro ou de outra ordem, o que mudavas no ambiente atualmente?

Em primeiro lugar, penso que antes de mudar o que quer que seja no ambiente é necessário mudar mentalidades. Não adianta reformular legislações nem lançar novas leis se não vão ser cumpridas nem tomadas em consideração.  As pessoas precisam de começar a encarar a “treta do ambiente” como um problema real e com graves consequências num futuro próximo. Não são os problemas financeiros que fazem com que o setor do ambiente não avance, mas sim a fraca consciencialização da população acerca desta temática.

Achas que devemos incentivar quem separa os seus resíduos devidamente, ou penalizar quem não o faz?

Penso que é importante incentivar quem o faz de forma a que não o deixem de fazer e passem a palavra aos que ainda não o fazem. A separação de resíduos já não é uma ação preventiva, mas sim uma ação necessária e (quase) obrigatória numa sociedade desenvolvida como a nossa. Uma vez mais o problema está na mentalidade das pessoas, como já referi.

Ao longo do teu percurso como «amiga do ambiente», já te deparaste com alguma situação caricata em que te apeteceu discutir/chamar a atenção de algum prevaricador ambiental.

Quase todos os dias me deparo com situações em que tenho vontade de intervir. A que me mais me revoltou até hoje foi ver um casal, que estava a jantar dentro do seu veículo (qualquer coisa vinda do McDonald’s) e que, quando terminou, abriram a porta e colocaram no chão todas as embalagens, guardanapos, sacos, etc. com a maior das naturalidades! Não entendo qual é a dificuldade de se dirigirem ao caixote do lixo mais próximo… Ou então levarem até casa e colocarem no lixo. Infelizmente, grande parte da nossa população são prevaricadores ambientais!

Que conselhos darias para que este blogue se tornasse uma referência nacional em termos ambientais?

Conteúdos que abordem:

Dicas úteis e simples, “amigas do ambiente”, para que toda a gente as possa colocar em prática;

Consciencialização da população para os problemas ambientais atuais e possíveis consequências no futuro;

Notícias do setor do ambiente para manter a população atualizada (desenvolvimento de novos produtos, tecnologias, …).

Sem qualquer consequência para ti, o que dirias/farias a uma pessoa que fosse a conduzir mesmo à tua frente e deitasse pela janela uma embalagem de iogurte?

Caso fosse possível iria até casa dessa pessoa e colocaria uma dúzia de embalagens de iogurtes à sua porta e aguardava pela sua reação. Imagino que não iria gostar de ver o “lixo” na porta e nesse momento eu poderia dizer-lhe que se não gosta de o ver à porta de sua casa também não o deve deitar no meio da rua. Penso que seria a melhor forma de passar a mensagem.

Abdicarias do teu banho diário, se para isso poupasses 10 euros por semana?

Não. O meu duche diário não demora mais de 5 minutos e tenho sempre o cuidado de fechar a água sempre que coloco o champô e o gel de banho. Evito ao máximo o desperdício de água durante o duche, mas não conseguia deixar de o fazer diariamente.

Elenca dois ou três hábitos diários que tens e que não vão de encontro a um desenvolvimento sustentável?

Consumir embalagens de plástico (garrafas de água, iogurtes, copo café…); utilizar o meu veículo para me deslocar até à estação de comboios; impressão de documentos e a utilização de folhas de papel para escrever.

Aqui fica uma foto da Martinha.

Marta Barbosa

Keep in touch,

E.R.

Artigos relacionados

6 Comentários

  • Comentar Luísa Grcês 27 Maio, 2016 at 13:01

    Bom dia.
    Infelizmente é verdade o que disse a Marta, não adianta alterar leis, se não conseguirmos mudar mentalidades. O que viu o casal fazer, vejo muito e casos de pessoas que vão no seu carro e deitam o lixo pela janela fora, inclusive, uma vez uma colega levou com uma fralda descartável no parabrisa do seu carro de um outro que ia à sua frente.
    Hoje em dia é a lei do menor esforço, há falta de civismo e acima de tudo as pessoas tornaram-se demasiado egoístas, mas muita das vezes essas mesmas pessoas são a que mais criticam e reclamam.
    Por isso, deveria haver mais esclarecimentos em relação a estas questões, de forma a dar um abanão às pessoas que prevaricam.
    Boa sorte!

  • Comentar Marta Barbosa 3 Junho, 2016 at 21:45

    Muito obrigada, Elsa! Pela entrevista, pelas palavras, pela disponibilidade e pela simpatia! Espero que muitos mais encontros se proporcionem e que está recente amizade cresça! Muitos beijinhos!

    Marta

  • Comentar isabel oliveira oliveira 3 Junho, 2016 at 22:49

    Sou fã da Martinha …temos que olhar pelo meio ambiente ….se trata da saúde de todos nós…Parabéns .. senhora..Engenheira. vai ter um grande futuro..

  • Comentar Maria Emília Loureiro 5 Junho, 2016 at 16:05

    Engenheira Marta Barbosa no SEU MELHOR…

  • Comentar Maria Emília Loureiro 5 Junho, 2016 at 16:07

    Engenheira Marta Barbosa no SEU MELHOR …

  • Comentar Andreia Alves 6 Junho, 2016 at 22:29

  • Deixe um comentário