Get To Know

ENTREVISTA ANA MOREIRA! :)

24 Junho, 2016

Hello!

Eis que surge a entrevista à fiend Ana Moreira. Oh pá, esta miúda inspira-me! Não é cá de muitas falas mas…. aquilo que diz é, maioritariamente acertado.

Foi uma das primeiras pessoas a quem contei sobre esta minha vontade de ir mais longe com o blog, e foi a primeira a dizer que a coisa tinha pernas para andar. Era a primeira pessoa a quem ligava quando obtinha algum feedback positivo sobre o projeto e era também a ela que recorria sempre que precisa que alguma ideia luminosa me assolasse instantaneamente. O nome «something more» foi fruto de um brainstorming que nos deu muito gozo fazer e que resultou na perfeição. Obrigada Ana por estares desse lado e por viveres estas coisas do ambiente lado a lado comigo.

Quanto à entrevista, aqui vai:

  1. Qual é tua relação profissional com o ambiente?

Sou licenciada em Ciências e Tecnologia do Ambiente e Mestre em Economia e Gestão do Ambiente. Exerço funções na minha área de formação desde Janeiro na Câmara Municipal de Penafiel, no âmbito de um estágio profissional.

  1. Se a tua profissão não estivesse ligada ao ambiente o que achas que poderias estar a fazer neste momento?

Se não tivesse envergado pela área do Ambiente, muito provavelmente teria estudado Gestão e Economia, outra vertente pela qual me interesso particularmente.

  1. Não havendo qualquer impedimento financeiro ou de outra ordem, o que mudavas no ambiente atualmente?

Na minha opinião, a consciência ambiental da população portuguesa fica bastante aquém do que seria razoável. Acredito que tal facto se possa dever ao diminuto apoio financeiro a esta área e, consequentemente, à pouca formação/educação ambiental da população em geral. Neste sentido e, assumindo que não houvesse impedimentos financeiro ou outro em Portugal, apostaria:

– Em primeiro lugar, na questão da educação/formação ambiental de forma a aumentar a consciencialização ambiental das pessoas;

– No investimento em infraestruturas e equipamentos que, muitas vezes, são escassos para fazer face às necessidades de recolha e tratamento de resíduos urbanos;

– Na monitorização da qualidade da água e do ar, assim como, no investimento de tecnologias que visem a sua melhoria;

– No aproveitamento efectivo dos nossos recursos naturais;

– Na redução progressiva do uso de combustíveis fósseis nos transportes e indústrias;

– Na redução do consumo de energia, nomeadamente, nos edifícios/iluminação pública;

– No aumento efectivo de fiscalização ambiental.

  1. Achas que devemos incentivar quem separa os seus resíduos devidamente, ou penalizar quem não o faz?

Tendo em conta que, embora em pequena escala, os incentivos ambientais já existem e em pouco se reflectem na prática, pelo que apostaria numa política de penalização.

  1. Ao longo do teu percurso como «amiga do ambiente», já te deparaste com alguma situação caricata em que te apeteceu discutir/chamar a atenção de algum prevaricador ambiental

Infelizmente penso que todos nós já nos deparamos com situações caricatas nesta área. Desde fraldas e outros objectos “bizarros” a “voar” pelos vidros das janelas dos carros ao despejo de monstros domésticos (como electrodomésticos e colchões) nos nossos montes/florestas. E esta última acho particularmente bizarra quando, os municípios, por exemplo,  já dispõem de um serviço completamente gratuito que recolhe das habitações dos munícipes este tipo de resíduos; serviço este que está à distância de um mero e simples telefonema.

  1. Que conselhos darias para que este blogue se tornasse uma referência nacional em termos ambientais?

Pessoalmente, penso que este blog tem tudo para ser uma referência em termos ambientais. Para além de ser um blogue inovador e com um tema muito interessante, a blogger é uma excelente profissional e com um sentido ecológico muito forte. Embora acredite que existam pessoas interessadas/preocupadas com o Ambiente, acho que deve apostar também naquilo que mais afecta a consciência dos portugueses, dicas de redução de consumo.

  1. Sem qualquer consequência para ti, o que dirias/farias a uma pessoa que fosse a conduzir mesmo à tua frente e deitasse pela janela uma embalagem de iogurte?

Numa situação destas, se estivesse a conduzir buzinaria para chamar a atenção, se lhe pudesse dizer algo dir-lhe-ia que imaginasse como estariam as ruas se toda a gente se comportasse da mesma forma.

  1. Abdicarias do teu banho diário, se para isso poupasses 10 euros por semana?

Desde que não afectasse a minha higiene diária, porque não? Sou da opinião que todos deveríamos fazer tudo o que pudéssemos para diminuir o consumo de água. Desde reduzir nas lavagens de roupa/loiça, encurtar a duração dos banhos, reduzir o período de tempo de regas, tudo é importante.

  1. Elenca dois ou três hábitos diários que tens e que não vão de encontro a um desenvolvimento sustentável?

É óbvio que, como todas as pessoas, também tenho os meus “pecados ambientais”. Devo admitir que poderia e deveria reduzir o consumo de bens materiais em geral, ter mais atenção ao consumo de energia em casa e reduzir as lavagens da roupa.

Espero que tenham gostado.

Keep in touch

E.R

 

Artigos relacionados

Sem Comentários

Deixe um comentário