Get To Know

A ciência e o meio ambiente #4

22 Setembro, 2017

Hello!

Óleos Alimentares Usados: Resíduo ou Matéria-prima?

Em Portugal, por ano, são produzidas milhares de toneladas de resíduos de óleos alimentares usados (OAU). Estes, quando não são devidamente encaminhados, acabam depositados na rede de esgotos, causando diversos impactos ambientais, como a contaminação das águas e dos solos e problemas de desempenho/funcionamento das Estações de Tratamento de Águas Residuais. Para que se perceba a dimensão desta problemática, é importante referir que, 1 L de OAU pode contaminar, aproximadamente, 1000000 L de água! Deste modo, é fundamental efetuar a correta gestão deste resíduo, através do seu aproveitamento/valorização.

São várias as iniciativas que têm surgido para resolver o problema dos impactes negativos associados à gestão ineficiente dos OAU. Atualmente está já comprovado através de diversos estudos científicos e projetos em desenvolvimento, que a reutilização dos OAU é uma opção muito interessante não só a nível ambiental mas também social e económico.

Quais as principais fontes de produção de OAU?

Os OAU podem resultar de diversas fontes: i) setor doméstico; ii) setor da hotelaria, restauração e cafetaria (HORECA) e iii) atividades industriais. Nos setores doméstico e HORECA, os OAU são provenientes da fritura de alimentos através do uso de óleos de origem vegetal como o azeite, o óleo de girassol, o óleo de soja, entre outros. Já na indústria estão, fundamentalmente, relacionados com a preparação e conservação de alimentos.

De que forma se reutilizam/valorizam os OAU?

As soluções encontradas para valorizar os OAU, são:

  1. Produção de biodiesel (mais comum em Portugal);
  2. Produção de sabão (mais comum em Portugal);
  • Utilização dos OAU como aditivo de rações animais;
  1. Produção de oleoquímicos;
  2. Utilização dos OAU como substrato na produção de biogás;
  3. Utilização dos OAU como aditivos na produção de pesticidas/biocidas.

Os OAU podem começar a ser vistos não como um problema mas sim como uma oportunidade, pois podem ser aproveitados e transformados em matéria-prima!

O que podemos fazer para contribuir para a correta gestão dos OAU?

Como consumidores de óleo alimentar, podemos (e devemos!) proceder à separação e encaminhamento deste resíduo de forma consciente, garantindo que o OAU que sai das nossas casas tem o destino adequado. Para tal, devemos colocar o óleo usado, depois de frio, num recipiente com tampa (ex.: garrafa ou garrafão) e, quando este estiver cheio depositá-lo no oleão mais próximo. Nos casos em que não existe um sistema de recolha, podemos colocar o OAU no lixo indiferenciado, devidamente fechado para evitar derrames. Nunca devemos depositar o OAU na banca de lavar a loiça ou na sanita! Podemos ainda sensibilizar familiares e amigos para que também adotem estas medidas, explicando as vantagens da reutilização dos OAU.

Para saber qual o oleão mais próximo de sua casa pode visitar a página da Agência Portuguesa do Ambiente (www.apambiente.pt), e seguir os seguintes passos: ‘Políticas’; ‘Resíduos’; ‘Fluxos Específicos’ e ‘Óleo Alimentar Usado’.

Para os moradores de Penafiel a informação está disponível aqui: http://www.cm-penafiel.pt/pt-pt/servicos-municipais/ambiente/iniciativas-pelouro-do-ambiente/oleos-alimentares-usados.aspx?PID=1482&M=NewsV2&Action=1

Nota: No oleão só devem ser depositados óleos alimentares!

 

Notícias sobre este tema:

https://www.publico.pt/2017/08/17/sociedade/noticia/mais-de-metade-dos-oleos-alimentares-usados-vao-para-o-esgoto-alerta-a-zero-1782575

http://www.motor24.pt/ecologia/empresa-britanica-transforma-gordura-esgoto-biodiesel-autocarros/

Artigos relacionados

Sem Comentários

Deixe um comentário