Get To Know

OPTE POR BRINQUEDOS SEM PILHAS !

23 Junho, 2016

Hello!

Cada vez mais, as crianças e jovens utilizam brinquedos com pilhas e baterias, mas nem sempre sabem o que lhes fazer quando têm que ser substituídos, situação que deveria ser revertida, sensibilizando para a necessidade de reciclar.

O meu filho Salvador faz 7 anos no dia 3 de Julho e reina aqui em casa a dúvida sobre o que lhe devemos oferecer. Se me parece cedo para lhe dar a PS4 também me parece cedo deixar de lhe oferecer brinquedos… falamos daqueles de plástico existentes em toda a boa loja de brinquedos. Eu sei, a LEGO tem muita oferta, bem vejo as caixas e caixas que pairam lá em casa dos mais de 40 que já lhe ofereceram e/ou compramos.

Com dois filhos lá em casa e com boas perspectivas de surgir um terceiro, cada vez mais me assola a ideia da longevidade dos brinquedos, coisa que não acontece com os brinquedos de plástico. Fico com pena de ver tanto brinquedo espalhado lá em casa pelo chão, no terraço, no jardim, no quintal, enfim! Há uns tempos conheci a Andreia, da loja Mamusca – Decoração Infantil na zona do Sameiro que se dedica a fazer as delícias das crianças com variadíssimos brinquedos em madeira.

Convenhamos que os brinquedos de madeira só têm vantagens:

São mais duráveis

Os brinquedos de madeira são menos susceptíveis de se partirem do que os seus equivalentes em plástico, sendo mais resistentes a quedas, pisadelas ou “testes de resistência”. Mesmo quando se partem, são normalmente mais fáceis de reparar, ao contrário de outros, cuja obsolescência está já programada desde a sua concepção.

É por isso que muitos se tornam objectos de brincadeira que passam de geração em geração, agregando valor sentimental mesmo junto dos adultos.

São mais ecológicos

Como os brinquedos de madeira tendem a durar mais do que os de plástico, o lixo que com eles é produzido é muito menor. Acresce o facto de que o plástico demora muito mais tempo a degradar-se.

Por outro lado, os brinquedos de madeira têm uma menor toxicidade química, uma vez que são produzidos com recurso a materiais essencialmente naturais. É claro que temos de ter alguma capacidade crítica quando os escolhemos, pois há outros factores a ter em conta (que tintas são usadas, por exemplo). Esse aspecto é especialmente importante quando pensamos sobre a origem do plástico: é derivado do petróleo, recurso ambientalmente nocivo e não renovável. Se tivermos o cuidado de procurar brinquedos cuja madeira provenha de plantações sustentáveis, a vantagem é evidente.

Também o facto de não usarem baterias reduz o impacto ambiental do seu fabrico e utilização.

São mais seguros

Sendo mais duráveis, o risco de ferimento com pequenas peças partidas é muito mais reduzido do que os brinquedos de plástico. Além disso, não tendo baterias associadas, também não existe risco de as engolir.

Potenciam mais o desenvolvimento infantil

Normalmente, os brinquedos de madeira não têm um botão onde a criança carrega e se pode limitar a ver o que o brinquedo faz. Ela tem de se envolver com ele, criando cenários e diferentes formas de interacção, desenvolvendo a imaginação e criatividade. Além disso, o único sítio onde uma criança deveria ouvir “amo-te” ou “gosto muito de ti” deveria ser no seio da sua família e não de um objecto de plástico.

São também brinquedos que têm, por norma, associado o desenvolvimento de diversas capacidades. Por exemplo, um puzzle ou um jogo de construção contribui para o reforço das competências lógicas, de percepção de espaço ou agilidade motora.

Falta referir uma vantagem importante: os brinquedos de madeira tendem a criar um ambiente mais calmo do que que os seus barulhentos e automáticos brinquedos de plástico.

Posto isto, e pelas razões mencionadas em cima, e porque de facto os brinquedos têm uma maior longevidade, vamos lá fazer uma visita à loja da mamusca. Vejam a página do facebook aqui e deliciem-se!

Keep in touch,

E.R.

 

Artigos relacionados

1 Comentário

  • Comentar Daisy 4 Julho, 2016 at 10:18

    Thkniing like that is really amazing

  • Deixe um comentário